segunda-feira, 30 de março de 2015

Dia 10

Como foi o domingo? O meu foi de faxina, e filhos! E no final, conversa com parceiros de trabalho. Na verdade isso tem todo dia, mas no domingo também! É engraçado, mas, como eu já comentei ontem,é tão bom falar com as pessoas que querem a mesma coisa que você, que tem os mesmos princípios, que buscam o auto conhecimento, a superação, que você não se importa de falar de trabalho no domingo. Na verdade, você gosta de falar de trabalho! Porque trabalho não é uma coisa chata, maçante. É desafiador, empolgante, gratificante!

Hoje quero voltar num assunto sobre o qual já escrevi para o site Estilo é ser livre (Você nasceu vendedor, eu resolvi continuar): Vendas!
Como eu digo nesse artigo, o processo de vendas nem sempre envolve um produto, e nem mesmo dinheiro. Mas para que você consigo divulgar seu produto ou serviço, ou difundir sua ideia, filosofia, ou mesmo se relacionar melhor, é essencial saber vender (ou saber se vender).
Esses dias, numa conversa com minha esposa, disse para ela que, de tudo que eu venho observando desde que me entendo por gente, existem 2 tipos de produtos, ou serviços, que são "imunes" a crises. 
  1. Objetos de necessidade. Exemplo: Pão. A última coisa que se deixa de consumir é comida básica, aquela que tem na casa do rico, do pobre, e no mundo todo. O cara pode até comprar 8 pãezinhos ao invés de 10, ou comprar só o pão francês, deixando aquela rosca doce de lado, mas ele não vai deixar de comprar!
  2. Objetos do desejo. Exemplo: Cosméticos. A pessoa tá economizando em tanta coisa já, na balada, no combustível, em outras compras em geral, nas férias de família, no cinema... que ela merece aquele perfume, ou aquele batom! E o interessante neste caso é que os cosméticos se encaixam nos dois tipos, pois não conheço ninguém que não compre sabonete, ou não use desodorante, por causa da crise.
Claro que em tempos de vacas gordas as vendas aumentam muito, mas nos tempos de vacas magras embora elas possam diminuir, não param totalmente, o que é o mais importante! E nestes tempos, de vacas magras, é quando a criatividade, a força de vontade, o empenho e a dedicação contam mais, e vão ser o diferencial entre quem vende bem, com crise ou sem, e quem vende mal sem crise, e fecha na crise.  Se você está no primeiro grupo parabéns, você já tem a chave do sucesso, agora é só abrir as portas! Provavelmente o seu produto ou serviço, se for objeto de necessidade, tornou-se já também objeto do desejo!
Mas... se você está no segundo grupo, meu caro, tome cuidado! Pois mesmo que você seja a única padaria num raio de 10 km, se o filho do zé da esquina começar a fazer pão em casa... você tá frito!

Agora se você não tem comércio, não trabalha com vendas diretas, não é prestador de serviços, de que serve saber disso tudo?

Simples: para que você tenha sucesso, ou você é o tipo de pessoa "de necessidade" (o que resolve os problemas, que tem boas idéias, que sabe fazer várias coisas), ou o tipo de pessoa "de desejo" (simpático, agradável, engraçado, alguém de quem as pessoas gostam de estar perto, simplesmente por estar perto). Mas o bom mesmo é se você for o tipo de pessoa "de necessidade-desejo"! Reflita sobre o quanto você é cada um deles! A vida de quantas pessoas você impactou positivamente nesta última semana? Quantas você fez sorrir? Quantas te agradeceram por uma gentileza? 

Amanhã continuo neste assunto, com o tópico "O que te impede de vender?"

Boa semana a todos!

Nenhum comentário: